Durante o mês de outubro o Sesc São Paulo realiza a terceira edição do Tecnologias e Artes em Rede. Com atividades na capital, interior e litoral, o evento desta vez traz como tema Tecnologias Negras, que tem como meta a valorização do protagonismo da pessoa negra no campo das artes visuais e das tecnologias.

A ação reúne artistas, cientistas, criadores, mestres populares e pesquisadores negros e negras para compartilharem seus conhecimentos por meio de bate-papos, palestras, encontros, cursos e oficinas que acontecem nas unidades de todo o estado.

Por meio de atividades práticas e reflexivas, saberes como Tecnologias Africanas na Construção de Moradias, Afrogames, Modelagem em Argila a partir da Arte Dogon, Moda Afro-brasileira – Racismo e Criação, Percussão, Escrita Afrofuturista, Desenho de Modelo Vivo com Corpos Negros, Reconhecimento Facial – Processamento de Imagens e Questões Raciais, Empreendedorismo Negro serão abordados no evento.

Afonsinho Menino, DiCampana Fotocoletivo, Fábio Kabral, Fióti, Hudson Rodrigues, Ike Banto, João Simões, Luciane Ramos, Marcelo D’Salete, Mestra Alcione (MG), Mestra Cristina (RJ), Mestra Janja Araújo (BA), Sonia Guimarães, Tiganá Santana e Walter Firmo são alguns dos profissionais e grupos que irão ministrar mais de 150 atividades, em sua maioria gratuitas, que contemplam cinco eixos temáticas:

Tecnologias Ancestrais – Tradicionais, da Palavra e Manuais
Abordagens que retomam ou atualizam habilidades, técnicas e saberes antigos, ou ainda relacionados à práticas, memórias e histórias orais.

Tecnologias Digitais e Contemporâneas
Práticas desenvolvidas utilizando recursos elétricos, eletrônicos e de informática, ou reflexões e discussões relativas à atualidade.

Afrofuturismos, Distopias e Utopias
Estéticas e filosofias culturais que refletem e discutem representações e realidades de pessoas negras em diálogo entre passado, presente e futuro, utilizando cosmovisões africanas, ficção científica, mitologias e realidade fantástica.

Tecnologias Invisibilizadas e de Resistência
Conceitos e técnicas desenvolvidos por pessoas negras que foram sistematicamente apagados ou ignorados na história da humanidade e que buscam fortalecê-los e potencializá-los na atualidade.

Estética, Crítica e História da Arte
Reflexões e práticas ligadas ao campo das artes visuais que podem, ou não, promover discussões a respeito de relações étnico-raciais.

Programação completa no Sesc Avenida Paulista

Eixo: Tecnologias Digitais e Contemporâneas

Reconhecimento facial, processamento de imagens e questões raciais

Bate-papo com Gabriela Mattos, Hudson Rodrigues e Tiago Pimentel

Retrospectiva histórica do desenvolvimento das tecnologias de processamento de imagens e de reconhecimento facial, seus principais embates e como as irregularidades no funcionamento dessas práticas impactam a sociedade e a atuação do serviço de segurança estatal.

Quando: Dia 5 de outubro. Sáb., 14h30 às 17h30.

Classificação: 12 anos.

Local: 4º andar – Tecnologias e Artes.

Ingressos: Gratuito. Inscrições 30 minutos antes da atividade.

Machine learning, algoritmos e mecanismos de discriminação

Bate-papo com Fernanda Monteiro, Rodolfo Avelino e Tarcízio Silva

Discussão sobre como as ferramentas de automatização computadorizada de decisões e escolhas, ainda que tenham um ar de neutralidade, podem ter vieses ocultos, que incorporam e reforçam preconceitos presentes em nossa sociedade.

Quando: Dia 19 de outubro. Sáb., 14h30 às 17h30.

Classificação: 12 anos.

Local: 4º andar – Tecnologias e Artes.

Ingressos: Gratuito. Inscrições 30 minutos antes da atividade.

Diversidade e Formação de Desenvolvedores de Tecnologias

Bate-papo com Patrícia Cornils, Rafael Bantu e Silvana Bahia

Quais são os impactos que a ausência de diversidade na formação profissional dos desenvolvedores de tecnologias pode ter em uma sociedade com camadas de diversidade muito maiores do que esses ambientes?

Quando: Dia 26 de outubro. Sáb., 14h30 às 17h30.

Classificação: 12 anos.

Local: 4º andar – Tecnologias e Artes.

Ingressos: Gratuito. Inscrições 30 minutos antes da atividade.

Anterior Espaço que reúne loja, bar e restaurante em SP vai transformar bitucas de cigarro em pranchas de surfe
Próximo Plataforma disponibiliza documentário sobre o maior crime ambiental do Brasil

Nenhum comentário

Deixe uma resposta