A Lar Mar, espaço que reúne loja, bar e restaurante, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, vai recolher bitucas de cigarro e transformá-las em pranchas de surfe. No local foi instalado um reservatório onde os clientes podem deixar os cigarros que serão destinados para a ação. A cada três mil bitucas recolhidas, uma prancha será criada pelo shaper Neco Carbone.

“Nosso objetivo é fazer com que as pessoas parem de jogar bitucas no chão. Nossos clientes aceitaram a ação de uma forma incrível. Em apenas um final de semana, já conseguimos reunir mais de mil bitucas”, conta Felipe Árias, fundador da Lar Mar.

Felipe conta que a arrecadação de bitucas será uma ação contínua na Lar Mar e que as pranchas fabricadas por lá não serão vendidas. “Todas serão doadas para escolinhas de surfe para crianças carentes da cidade de Santos e Guarujá, litoral de São Paulo.

A iniciativa foi inspirada no projeto ‘Cigarette Board’ do designer industrial Taylor Lane, que construiu a primeira prancha de surfe com o material e ganhou diversos prêmios de sustentabilidade nos Estados Unidos. Um dos embaixadores do projeto foi o músico Jack Johnson que testou uma das pranchas produzida com quatro mil bitucas encontradas nas praias da Califórnia. A Lar Mar fica na rua João Moura, 613 e é possível despejar as bitucas de cigarro de quarta a domingo.

Anterior Santos FC discorre sobre sua luta contra o racismo e exalta seus craques negros na minissérie “Time de Branco e de Preto”
Próximo Sesc São Paulo mostra o protagonismo dos negros nas artes visuais e na tecnologia

Nenhum comentário

Deixe uma resposta