De 8 a 25 de outubro a cidade do Rio de Janeiro recebe a 6ª Mostra 3M de Arte Digital.  Depois de cinco anos em São Paulo, o evento, produzido pela Elo3 e com curadoria de Claudia Giannetti, chega à cidade maravilhosa, ocupando o primeiro andar da Fundição Progresso, com o tema “WhatsAppropriation — A arte de revisitar a arte”.

Claudia foi buscar 22 artistas nacionais e internacionais dos segmentos cinema, fotografia, videoarte, instalação audiovisual  e internet. O intuito é investigar o diálogo criado por estes artistas com obras de pintores dos últimos cinco séculos, entre elas, telas famosas como “A liberdade guiando o povo”, de Delacroix; “O Nascimento de Venus”, de Botticelli; e pinturas de Edward Hopper, Frans Post, Guignard, entre outros.

A exposição é divida em sete salas temáticas: Imaginário brasileiro, Imaginário feminino, Grandes microrrelatos, Iconografias, Naturezas-mortas, Relatos privados e Performáticos.

Entre os artistas convidados estão os brasileiros Vik Muniz, Nelson Leirner, Cao Guimarães, Felipe Cama, Carlos Fadon e Marcelo Coelho. E o time de estrangeiros conta com o desbravador Bill Viola, a videoartista americana Martha Rosler, a portuguesa Patricia Reis, a turca Sükran Moral, a alemã Ulrike Rosenbach, a espanhola Cristina Lucas, o israelita Ori Gersht, a dupla italiana Eva e Franco Mattes, os argentinos Nicola Costantino e Marcos Lopez, o mexicano Guillermo Gómez-Peña além, e com o performático holandês Max Zorn. Destacam-se também alguns cineastas de renome como o austríaco Gustav Deutsch, o polonês Lech Majewski e Humberto Mauro, presente na exibição com fragmentos do famoso filme “O descobrimento do Brasil”, de 1936, longa inspirado no quadro “A primeira missa no Brasil”, de Victor Meirelles, de 1861.

Artista holandês marcar o início da 6ª edição da mostra com performance ao vivo no metrô 

Fita adesiva, bisturi e uma plataforma de acrílico iluminada. Isso é tudo que Max Zorn precisa para criar sua arte. Influenciado pelos filmes noir e por artistas do realismo norte-americano, como Edward Hopper, ele também costuma se inspirar em personagens dos romances escritos por autores influentes da chamada “The Lost Generation” ou Geração Perdida, como Ernest Hemingway, John Steinbeck e J. D. Salinger.

Zorn  produzirá uma obra em tempo real, no dia 6 de outubro, antecipando a abertura da mostra. A performance poderá ser acompanhada pelo público de 10h30 às 14h30 na estação Carioca do Metrô. Será uma recriação da obra “Leitura”, do pintor e desenhista brasileiro José Ferraz de Almeida Júnior. Confira um pouco da obra do artista:

SERVIÇO:

VI Mostra 3M de Arte Digital

Abertura: 8 de outubro, às 20h

Visitação: de 9 de outubro a 25 de outubro

Funcionamento (data e horário): de segunda a domingo, das 10h às 18h

Local: Fundição Progresso, Rio de Janeiro

Endereço: Rua dos Arcos 24, Lapa, Centro

Telefone: 3212-0800

Entrada Franca

Classificação indicativa: livre

 

Anterior Escalador brasileiro registra imagens incríveis
Próximo Lollapalooza divulga atrações de 2016

Nenhum comentário

Deixe uma resposta